Demonstração de fluxo de caixa

por Leonardo Pietro Luch Padovani

fluxo de caixa

Leonardo Pietro Luch Padovani

A demonstração do fluxo de caixa ou também conhecida como DFC, é um demonstrativo que auxilia os gestores para um constante acompanhamento na gestão financeira, um relatório fundamental que evidencia a posição financeira de uma empresa em um determinado período de tempo.

Utilizando a DFC, pode-se analisar quais foram ás entradas e saídas de disponíveis no período desejado, sejam elas em caixa e equivalentes de caixa. Possibilitando assim um maior controle de recursos financeiros. Um relatório de fluxo de caixa deve ser dividido em três áreas:

  • 1 – Atividades operacionais
  • 2 – Atividades de investimentos
  • 3 – Atividades de financiamentos

Para a realização da DFC existem dois tipos de métodos a serem utilizados, o método direto e método indireto.

Método Direto

Para a elaboração da DFC pelo método direto, o gestor deve verificar primeiramente a classificação dos recebimentos e pagamentos, usando critérios mais apurados e técnicos, essas operações são de entradas e saídas, ocorridas de operações normais que se efetuaram durante o período, como recebimento de clientes, pagamentos de fornecedores e pagamentos de despesas.

Método Indireto

Para a elaboração da DFC pelo método indireto, a diferença está nas atividades, ao contrário de se apresentar os recebimentos de clientes, pagamentos de fornecedores e despesas, é oriundo da DRE (Demonstração do Resultado do Exercício) que se ajusta pelos itens econômicos, com variações das contas patrimoniais e não diretamente aos fluxos de caixa.

O controle do fluxo de caixa sempre foi uma ferramenta muito ampla dentro de uma organização, para que seja possível uma melhor analise e um planejamento mais seguro, pois é a base de uma posterior tomada de decisão.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *