8 indicadores contábeis que devem ser analisados

por TBS Consultoria

Os indicadores contábeis são resultados conseguidos por meio da análise contábil de um negócio. Eles fornecem informações relevantes sobre as operações da empresa, possibilitando a realização de uma avaliação, por intermédio de fórmulas matemáticas usadas para averiguar as demonstrações financeiras.

Com esses resultados é possível compreender a real situação financeira do negócio, tomar decisões mais acertadas, avaliar o desempenho e demais observações a respeito da instituição.

Pensando nisso, elaboramos este texto para mostrar os principais indicadores contábeis e a importância de cada um para o desenvolvimento do negócio. Confira!

1. Índice de liquidez

Liquidez quer dizer a facilidade ou agilidade com que um ativo pode se transformar em dinheiro. Dessa forma, para mensurar a liquidez de uma empresa, usa-se como medida a capacidade que ela tem de cumprir as obrigações em curto prazo (capacidade de pagamento). Por isso, a seguir, você poderá ver os principais índices de liquidez. Confira!

Liquidez corrente

Mostra se a empresa está cumprindo com as obrigações imediatas. Para medir a liquidez corrente, são usados dados do ativo circulante, por exemplo, estoque, caixa, contas a receber, entre outros, e do passivo circulante, como empréstimos a vencer, fornecedores a pagar etc.

Sua fórmula é: Liquidez corrente = ativo circulante / passivo circulante.

Liquidez Seca

Pode-se conceituar da mesma forma da liquidez corrente, contudo, são retirados os estoques da conta, deduzindo-se que eles serão liquidados naturalmente em uma provável circunstância de exigência.

Liquidez seca = (ativo circulante – estoques) / passivo circulante.

Liquidez imediata

É um índice fácil de ser utilizado, pois considera somente o disponível na organização e o compara com o passivo circulante, observando os equivalentes de caixa (disponível) e as contas referentes ao passivo circulante.

Mostra a capacidade de pagamento da empresa sobre o que já é dinheiro ou que pode ser convertido em dinheiro de forma rápida (resgate em até 90 dias).

Liquidez imediata = recursos disponíveis imediatos / passivo circulante.

Liquidez geral

Exibe a situação da instituição em longo prazo. Ou seja, compara a capacidade em longo e curto prazo. Ao apresentar o índice menor que 1, a empresa, em tese, estaria com problemas financeiros e teria dificuldades em cumprir suas obrigações.

Liquidez geral = (ativo circulante + realizável a longo prazo) / (passivos circulantes + passivo não circulante).

2. Índice de endividamento

Mostra o grau de endividamento do negócio, relacionando o total de ativos e o total de passivos.

A fórmula é: índice de endividamento = total de passivos (circulantes + exigível a longo prazo) / total de ativos.

O resultado encontrado indicará o percentual de capital de terceiros que a empresa tem. Quanto maior o seu valor, mais alta será a participação de capital de terceiros no andamento das atividades.

Geralmente, credores preferem endividamentos baixos, tendo em vista que quanto menores forem as dívidas, maior será a proteção contra prejuízos caso ocorra falência da empresa.

3. Índice de rentabilidade

A rentabilidade é um indicador que serve para mensurar a capacidade de pagamento que o negócio tem com fundamento nos investimentos feitos em sua aquisição ou organização. Além disso, é possível buscar o crescimento das vendas, a redução de gastos, a abertura de filiais etc.

O cálculo da rentabilidade é feito da seguinte maneira: rentabilidade = lucro líquido / investimento total x 100.

4. Indicadores de imobilização

Esses indicadores revelam o quanto do capital da empresa está comprometido e como está sendo usado. Podem ser avaliados das seguintes formas:

  • grau de imobilização do patrimônio líquido: mostra o percentual de imobilização do patrimônio líquido, ou seja, quanto dos recursos próprios que não é possível de ser utilizado;
  • grau de imobilização do ativo total: trata-se de uma variação do anterior, mostrando o percentual do ativo total que é gasto pelo imobilizado.

Quanto maior a aplicação do ativo permanente, menor serão os recursos para o uso imediato, indicando uma menor ou maior necessidade de participação de recursos de terceiros.

5. Margem bruta

Mensura qual o percentual de lucro que a empesa está tendo em cada venda. Por exemplo, se você vende os produtos por R$ 50,00 e gasta R$ 30,00 para colocá-los à venda, isso quer dizer que você está lucrando R$ 20,00.

Margem bruta = lucro bruto / receita líquida x 100.

A avaliação da margem bruta é um indicador importante que permite identificar se certo produto tem uma margem melhor do que outro e, se o resultado for indesejado, rever as estratégias de operação talvez seja uma boa opção.

Além disso, a margem bruta é um indicador essencial no momento de precificar alguns produtos.

6. Margem líquida

Após pagar todas as despesas, tanto fixas como variáveis, e os tributos, a margem líquida mostra a quantia em dinheiro que a empresa lucra a cada real de receita obtido.

A fórmula é a seguinte: margem líquida = lucro líquido / receita líquida x 100.

7. Ciclo Operacional

Considera o tempo médio que o negócio leva para receber uma venda determinada. Em regra, quanto menor for o resultado do ciclo operacional, menor será a dependência da empresa em colocar seu capital de giro para custear as operações.

Ciclo operacional = prazo médio de estoques + prazo médio de recebimentos.

8. Retorno sobre o patrimônio (ROE)

É um índice que mede quanto de lucro uma empresa gera em relação aos investimentos realizados pelos acionistas ou proprietários da empresa. Mensura a capacidade de rentabilidade da instituição. O lucro é o desejo do investidor pelo risco do negócio, dessa forma, quanto maior o retorno, melhor.

ROE = lucro líquido / patrimônio líquido.

Vale lembrar que é importante acompanhar os indicadores contábeis periodicamente, já que eles são imprescindíveis para as empresas que visam investir em técnicas de gestão eficazes. As informações obtidas permitem que o gestor transforme os dados em desenvolvimento e gere ganhos para a instituição.

Para que os indicadores contábeis representem a situação financeira verdadeira da empresa, é primordial contar com uma contabilidade exata. Por isso, é interessante ter o auxílio de profissionais qualificados, que podem orientar da melhor forma e oferecer todo o suporte necessário quanto aos processos de tomadas de decisão para o negócio.

Gostou deste texto? Então, compartilhe agora mesmo em suas redes sociais para que seus amigos também entendam melhor sobre o tema!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *