Blog TBS

Notícias, Artigos e Informações do Mercado

Blog TBS

5 técnicas de gestão empresarial para aplicar na controladoria e finanças

por Pedro Henrique Furtado Menin

Pedro Henrique Furtado Menin
Compartilhe informação!!

 

Com o objetivo de obter êxito em seu negócio, a área de controladoria e finanças precisa aplicar boas técnicas de gestão empresarial. Isso permite que a empresa atinja o seu melhor desempenho e alcance resultados mais satisfatórios de acordo com as suas metas e projetos. Tudo isso porque as estratégias adotadas podem mobilizar desde os passos do planejamento até a gestão de projetos, o conhecimento, os valores e as finanças.

Neste artigo, você vai ter contato com algumas dessas técnicas de gestão empresarial para aplicar em controladoria e finanças. Boa leitura!

 

1. Gestão de KPIs

Os KPIs, nomes utilizados para definir indicadores-chaves de desempenho, são algumas das ferramentas de gestão que visam verificar o nível de desempenho ou de sucesso de uma empresa em relação a uma meta específica, contribuindo para o acompanhamento eficiente dos objetivos. Além disso, ao ter noção dos KPIs, os gestores de determinado negócio podem verificar se as estratégias adotadas estão seguindo o caminho certo, adotando mudanças caso a resposta seja negativa.

Os indicadores podem ser quantitativos e qualitativos, acompanhados por meio de um software ou de planilhas (no caso, manualmente). Servem, ainda, como uma maneira de estabelecer a comunicação entre o corpo de gestores de um negócio e os seus colaboradores, informando o desempenho de um processo por um certo período.

Saber bem quais são as etapas menos produtivas na cadeia de serviços da empresa permite o ganho de mais competitividade no mercado, sendo esse um dos principais motivos que comprovam a importância de ter clara a análise dos KPIs.

 

2. Ciclo PDCA

A sigla PDCA vem do inglês Plan, Do, Check, Act (planejar, fazer, checar, agir). Também denominada como ciclo de melhoria contínua, essa estratégia é um diagrama que visa otimizar processos. Trabalha seguindo o conceito de entender as mudanças necessárias para planejá-los, colocá-los em prática, analisar se obtiveram o efeito esperado e, em caso positivo, institucionalizá-los.

A importância desse ciclo é justamente entender em quais pontos a empresa precisa de modificações caso não atinja o resultado esperado, além de aplicar técnicas para a otimização de processos.

 

3. Análise SWOT

Se existir a necessidade de definir um diferencial competitivo para a área de controladoria e finanças ou propor ações que vão corrigir vulnerabilidades e destacar potencialidades, uma das estratégias mais eficientes é a Análise SWOT. Em português, você também vai ouvir a sigla FOFA, que significa Forças, Oportunidades, Fraquezas e Ameaças.

Essa aplicação permite que o gestor identifique pontos negativos e positivos, além de saber como projetar uma visão de futuro e entender o que se coloca como tendência. Em linhas gerais, as conclusões em relação às análises obtidas vêm a partir de quatro questionamentos:

  • Forças: “quais são os pontos fortes da minha empresa?”;
  • Fraquezas: “quais são os principais pontos fracos do meu negócio?”;
  • Oportunidades: “quais são as oportunidades?”;
  • Ameaças: “quais riscos o meu negócio corre?”.

 

4. Benchmarking

Ter uma noção de como a concorrência está reagindo e adotando estratégias é essencial para aprender técnicas e traçar caminhos para superá-la. Essa é justamente a ideia do benchmarking, em que técnicas de administração de empresas relacionadas com a melhoria dos resultados e com o aumento da competitividade são adotadas.

É preciso entender que essa estratégia não se trata de simplesmente ir ao mercado com a finalidade de encontrar práticas para copiá-las, pois tal atitude não agregaria diferencial ao seu setor de controladoria e finanças. O objetivo principal é comparar as suas estratégias no que diz respeito a serviços, metodologias adotadas, práticas empresariais etc. A partir daí, é possível absorver boas ideias e adequá-las ao dia a dia do seu negócio.

Essas estratégias podem ser adotadas da seguinte maneira:

  • interna: olhar o que já é feito na empresa em que trabalha com o objetivo de adaptar outras técnicas à sua realidade;
  • competitiva: realizar a comparação com outras empresas, já mencionada neste conteúdo;
  • funcional: comparar os processos de trabalho até mesmo com empresas de outros segmentos;
  • cooperativo: promover o compartilhamento de informações entre empresas parceiras.

 

5. Inovação

É necessário que todo gestor tenha a preocupação de fomentar a inovação seja em qual área for. Seja no processo de melhoria de produtos e serviços, seja na mudança de processos, é preciso inovar constantemente para ter um diferencial competitivo.

Essa gestão de inovação é uma área da gestão empresarial que chegou para conferir mais durabilidade ao ciclo de vida de processos e projetos. Caso esteja pensando em implementar uma cultura que fomente a inovação em seu negócio, será necessário estruturar os processos para receber sugestões dos colaboradores para, a partir daí, avaliá-los.

Desse modo, saiba que, em muitos casos, a inovação não vem de reuniões com a diretoria e os demais gestores de outras áreas, mas sim dos próprios colaboradores que conhecem detalhes sobre produtos e serviços.

 

6. Integração de sistemas

Conhecido como um processo que vai unir os sistemas organizacionais em um só ou fazer com que eles estejam interligados por meio de um software, a integração de sistemas permite que os processos sejam mais otimizados e automatizados. Além disso, faz com que os dados estejam armazenados de forma mais segura em apenas um local.

A partir da integração de sistemas de um negócio, os principais processos podem ser gerenciados por ferramentas informatizadas, permitindo a redução de erros. Desse modo, todas as operações e informações do negócio serão registradas e monitoradas constantemente, tornando-se uma base de análise que permitirá a visualização de melhorias para o fluxo da área em questão.

Assim, nenhuma informação será perdida, negligenciada ou esquecida nas etapas do processo. Isso garante que todos os colaboradores entendam claramente as suas funções e estejam de acordo com os procedimentos da empresa, melhorando a gestão do negócio.

Durante a leitura deste conteúdo, você pôde conhecer seis técnicas importantes para aplicar na gestão empresarial na sua área de controladoria e finanças. É preciso estar sempre alinhado com as tendências do mercado, uma vez que isso contribui para melhorias do negócio como um todo e garante a competitividade da empresa em relação à concorrência.

Deseja se aprofundar no assunto? Continue no blog e conheça os 8 indicadores contábeis que devem ser analisados em um negócio. Boa leitura!

 


Informativo

Download


Compartilhe informação!!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *