auditoria independente

3 coisas que você precisa saber sobre a auditoria independente

Por |

Administrar uma empresa exige certo conjunto de habilidades de gestão tanto de pessoas quanto de finanças. Em meio às diferentes atividades diárias desempenhadas pelos gestores, muitos processos se tornam imperceptíveis, e é aí que entra a revisão promovida por uma auditoria independente. Os auditores externos são imprescindíveis para que o empresário compreenda melhor o próprio negócio. 

Trata-se, portanto, de um meio de proporcionar um poder de autoconhecimento aos administradores. Com isso, as tomadas de decisão se tornam muito mais certeiras.Conhecer bem a organização e assegurar boas práticas são vitais para que os gestores consigam ampliar a competitividade no mercado. Afinal, a qualidade de todo o planejamento estratégico depende disso.

Afinal, o que vem a ser, de fato, uma auditoria externa? Continue com a gente para conhecer 3 coisas essenciais sobre auditoria independente!

1. O que define uma auditoria independente?

Basicamente, a auditoria independente tem por finalidade analisar se há um alinhamento entre a operação e as demonstrações financeiras. Isso significa que ela consegue comprovar se os números apurados pela organização realmente condizem com a realidade operacional daquele negócio.

Assim, é possível notar que essa auditoria é fundamental para assegurar a credibilidade de uma empresa. Ao visualizarem o relatório do auditor independente sem ressalvas, os stakeholders entendem que aqueles números (balanço patrimonial e demonstração do resultado do exercício, por exemplo) são reais e refletem a situação atual da empresa.

Vale lembrar que, além dos stakeholders, que são compostos de investidores e acionistas, fornecedores, clientes e demais envolvidos nas operações da empresa podem utilizar as informações auditadas. Portanto, nós estamos falando de pessoas que têm um profundo interesse no desenvolvimento da organização em questão.

2. Como uma auditoria independente atua?

O resultado das análises efetuadas pelas auditorias é seguro e confiável, pois eles são embasados em regulamentos e normas internacionais de auditoria. Felizmente, o Brasil constitui o grupo de países que decidiu seguir os padrões ditados pela contabilidade internacional — IFRS (International Financial Reporting Standards).

Isso quer dizer, entre outras coisas, que o país segue o padrão IFRS — trazendo para o português, essa é a sigla de Normas Internacionais de Informação Financeira. Assim, há uma uniformização dos processos e políticas contábeis que devem ser seguidos pelas empresas.

A internacionalização dos procedimentos de análise indica que as auditorias independentes seguem os mesmos critérios.Isso é essencial para evitar quaisquer distorções quanto às interpretações de certas características, como a idoneidade e a nitidez das informações, além de permitir a comparabilidade de informações em empresas do mesmo setor.

Na prática, asauditorias independentes recebem total acesso a informações para revisar no detalhe e validar os números exibidos pela empresa avaliada nos balanços contábeis. Até os números que detêm um teor mais abstrato, como o valor de uma patente e ativos biológicos, entram na auditoria. Para tanto, os auditores independentes se valem de:

  • checagens;
  • testes documentais amostrais;
  • procedimentos analíticos;
  • análises de variações e tendências.

Ao término do processo, os auditores emitem um relatório, o qual representa o parecer técnico do especialista. Esse documento é caracterizado por apresentar:

  • principais aspectos avaliados;
  • métodos de análise;
  • responsabilidades ligadas à empresa e a referida auditoria;
  • menções sobre os balanços contábeis;
  • constatações sobre o processo de auditoria.

Também é função da auditoria independente checar:

  • os processos de compra e venda da empresa;
  • a existência de riscos;
  • a existência de procedimentos fraudulentos;
  • a conformidade (ou não) dos saldos registrados nos balanços contábeis.

Caso se deparem com alguma irregularidade ou discrepância, os auditores, após comunicação com a Administração, devem inserir observações em seu relatório. Eles apontarão como aqueles números não refletem o resultado operacional apresentado pela organização e o porquê disso.

Dessa maneira, os gestores do negócio recebem uma avaliação emitida por alguém totalmente isento. É como ouvir a verdade (por mais dolorosa que ela possa ser) de uma pessoa que tem uma visão externa privilegiada. Além de um ângulo de visão melhor, o auditor independente detém toda a expertise necessária para oferecer uma análise minuciosa e precisa.

Em se tratando das finanças de um negócio, os erros de percurso precisam ser corrigidos quanto antes. Caso contrário, a empresa será incapaz de acompanhar o ritmo da concorrência e do mercado — implacável com administrações instáveis.

3. Por que contratar uma auditoria?

A essa altura, você já deve estar imaginando que sobram motivos para se contratar uma auditoria independente — e, de fato, as empresas só têm a ganhar. Vale dizer que isso independe do tamanho do negócio. Na verdade, a auditoria externa também pode ser aplicável às empresas de pequeno e médio porte.

Organizações de grande porte são obrigadas a divulgarem suas demonstrações financeiras auditadas, independentemente de serem de capital aberto ou não. Apesar da falta de obrigatoriedade, as auditorias de empreendimentos pequenos ou médios são importantes para o seu desenvolvimento e visibilidade, uma vez que transmitem credibilidade e transparência aos acionistas, investidores, colaboradores e parceiros.

Por que o dono de uma pequena ou média empresa deveria se utilizar dos serviços de uma auditoria independente? Para assegurar e demonstrar aos interessados que os processos praticados por sua organização seguem as normas legais e regulamentares. Isso documentado e suportado por um relatório dos auditores independentes.

Com isso, o empresário expande o valor do seu negócio aos olhos de clientes e instituições financeiras. Como um resumo das vantagens proporcionadas por uma auditoria externa, pode-se citar:

  • equilíbrio entre operação e demonstrações financeiras;
  • prevenção de fraudes;
  • aprimoramento dos processos internos da empresa;
  • aumento da transparência das medidas adotadas;
  • ampliação da credibilidade perante stakeholders.

O que considerar ao escolher uma auditoria?

Existem vários fatores a serem analisados na hora de escolher uma auditoria, já que a auditoria externa não vai substituir a interna e vice-versa. A diferença entre os dois tipos de auditoria está na direção dos trabalhos. Auditoria externa é como um atestado que maximiza a confiança dos stakeholders e mostra que a empresa conta com governança corporativa.

Já a auditoria interna tem os seus objetivos voltados para as necessidades do administrador. Sendo assim, para a escolha da auditoria é preciso fazer uma breve análise da sua finalidade. Caso a ideia seja verificar o setor operacional e contábil, opta-se pela auditoria interna. Porém, se é preciso fazer uma análise do setor contábil, deve-se contar com a auditoria externa.

Para solicitar um empréstimo, aumentar o valor de mercado da empresa ou encontrar investidores é indicado uma auditoria externa. Contudo, se a intenção for buscar auxílio sobre eficácia e eficiência dos controles para oferecer dados à Administração, a auditoria interna é válida. Enquanto a auditoria externa atesta a transparência dos dados, a interna ajuda a corrigir desvios.

Quais são as diferenças entre auditoria interna e externa

A diferença entre auditorias externas e internas está no objetivo de sua realização e no escopo que ela abrange. A auditoria externa é feita para atender o público externo e todos os interessados nos negócios. Por outro lado, a auditoria interna é um estudo feito no interior da empresa pelos seus funcionários para averiguar questões internas.

A auditoria interna se trata de um instrumento importante de gestão e controle muito útil aos administradores. Ela tem finalidade gerencial, uma vez que os resultados obtidos servem para localizar falhas, aperfeiçoar processos, rotinas e setores organizacionais. Ela visa organizar financeiramente as instituições além de investigar os registros contábeis.

Como deve ser feita a integração entre a auditoria interna e a externa?

A auditoria interna e a externa podem ser integradas apesar de serem interdependentes. As operações das empresas são bastante complexas e exigem o uso de tecnologias para a tomada de decisões mais acertadas. Hoje, a sociedade está vivendo na era da transformação digital em um mundo globalizado.

A integração é realizada pelos auditores que são responsáveis pelo exame das informações, livros e documentos. Eles obtêm e confirmam dados externos e internos por meio de inspeções que mensuram a confiabilidade dos registros. Após a auditoria, as informações são disponibilizadas aos usuários externos, credores, autoridades, investidores etc.

Além disso, elas ficam acessíveis aos proprietários ou gestores empresariais. As empresas aprimoram o nível de controle de seus sistemas para que a auditoria externa seja subsidiada pela auditoria interna. Os auditores especialistas devem ter habilidades específicas e conhecimentos para obedecer aos princípios éticos que envolvem sigilo profissional e autoanálise.

O controle interno facilita o serviço de auditores externos e internos com a emissão de relatórios confiáveis submetidos a testes bastante rigorosos. As duas áreas unem os seus trabalhos e melhoram as competências e recursos produzindo mais benefícios. Por isso, os profissionais devem manter coordenadas as suas ações adotando procedimentos e evitando a repetição de tarefas.

A auditoria externa funciona com coerência e harmonia em relação à auditoria interna. Embora elas operem em graus distintos de extensão e profundidade, ambas têm interesses comuns e são relacionadas à gestão de negócios. As duas são de grande importância nos processos decisórios e para a formação de diretrizes estratégicas.

Para que uma organização alcance o sucesso, é preciso monitorar permanentemente os processos empresariais para garantir a sua sobrevivência. A auditoria interna envolve todas as questões relativas à gestão administrativa e obriga os gestores a adotar postura dinâmica, com o uso de ferramentas indispensáveis à avaliação de resultados.

Enfim, essas são as 3 coisas que você precisa saber sobre a auditoria independente! Ela é capaz de transformar um negócio positivamente. Após uma análise profunda como essa, a contabilidade passa a ser encarada de uma forma estratégica — e isso faz toda a diferença. Afinal, toda empresa necessita de um planejamento sustentado por pilares sólidos.

Gostaria de obter mais informações ou tirar as suas dúvidas sobre temas relacionados? Entre em contato conosco!

Outros artigos que entendemos que você vai gostar:

Dúvidas, fale com nossos consultores clicando aqui ou no ícone do WhatsApp do lado inferior direito do site.

Qual sua nota sobre esse conteúdo?

Clique e avalie

Nota: 0 / 5. Avaliações: 0

Nenhuma avaliação, seja o primeiro!