fbpx
8-indicadores-contabeis

8 indicadores contábeis que devem ser analisados

Por |

[et_pb_section admin_label=”section”][et_pb_row admin_label=”row”][et_pb_column type=”2_3″][et_pb_text admin_label=”Texto”]

 

Os indicadores contábeis são resultados conseguidos por meio da análise contábil de um negócio. Eles fornecem informações relevantes sobre as operações da empresa, possibilitando a realização de uma avaliação, por intermédio de fórmulas matemáticas usadas para averiguar as demonstrações financeiras.

Com esses resultados é possível compreender a real situação financeira do negócio, tomar decisões mais acertadas, avaliar o desempenho e demais observações a respeito da instituição.

Pensando nisso, elaboramos este texto para mostrar os principais indicadores contábeis e a importância de cada um para o desenvolvimento do negócio. Confira!

1. Índice de liquidez

Liquidez quer dizer a facilidade ou agilidade com que um ativo pode se transformar em dinheiro. Dessa forma, para mensurar a liquidez de uma empresa, usa-se como medida a capacidade que ela tem de cumprir as obrigações em curto prazo (capacidade de pagamento). Por isso, a seguir, você poderá ver os principais índices de liquidez. Confira!

Liquidez corrente

Mostra se a empresa está cumprindo com as obrigações imediatas. Para medir a liquidez corrente, são usados dados do ativo circulante, por exemplo, estoque, caixa, contas a receber, entre outros, e do passivo circulante, como empréstimos a vencer, fornecedores a pagar etc.

Sua fórmula é: Liquidez corrente = ativo circulante / passivo circulante.

Liquidez Seca

Pode-se conceituar da mesma forma da liquidez corrente, contudo, são retirados os estoques da conta, deduzindo-se que eles serão liquidados naturalmente em uma provável circunstância de exigência.

Liquidez seca = (ativo circulante – estoques) / passivo circulante.

Liquidez imediata

É um índice fácil de ser utilizado, pois considera somente o disponível na organização e o compara com o passivo circulante, observando os equivalentes de caixa (disponível) e as contas referentes ao passivo circulante.

Mostra a capacidade de pagamento da empresa sobre o que já é dinheiro ou que pode ser convertido em dinheiro de forma rápida (resgate em até 90 dias).

Liquidez imediata = recursos disponíveis imediatos / passivo circulante.

Liquidez geral

Exibe a situação da instituição em longo prazo. Ou seja, compara a capacidade em longo e curto prazo. Ao apresentar o índice menor que 1, a empresa, em tese, estaria com problemas financeiros e teria dificuldades em cumprir suas obrigações.

Liquidez geral = (ativo circulante + realizável a longo prazo) / (passivos circulantes + passivo não circulante).

2. Índice de endividamento

Mostra o grau de endividamento do negócio, relacionando o total de ativos e o total de passivos.

A fórmula é: índice de endividamento = total de passivos (circulantes + exigível a longo prazo) / total de ativos.

O resultado encontrado indicará o percentual de capital de terceiros que a empresa tem. Quanto maior o seu valor, mais alta será a participação de capital de terceiros no andamento das atividades.

Geralmente, credores preferem endividamentos baixos, tendo em vista que quanto menores forem as dívidas, maior será a proteção contra prejuízos caso ocorra falência da empresa.

3. Índice de rentabilidade

A rentabilidade é um indicador que serve para mensurar a capacidade de pagamento que o negócio tem com fundamento nos investimentos feitos em sua aquisição ou organização. Além disso, é possível buscar o crescimento das vendas, a redução de gastos, a abertura de filiais etc.

O cálculo da rentabilidade é feito da seguinte maneira: rentabilidade = lucro líquido / investimento total x 100.

4. Indicadores de imobilização

Esses indicadores revelam o quanto do capital da empresa está comprometido e como está sendo usado. Podem ser avaliados das seguintes formas:

  • grau de imobilização do patrimônio líquido: mostra o percentual de imobilização do patrimônio líquido, ou seja, quanto dos recursos próprios que não é possível de ser utilizado;
  • grau de imobilização do ativo total: trata-se de uma variação do anterior, mostrando o percentual do ativo total que é gasto pelo imobilizado.

Quanto maior a aplicação do ativo permanente, menor serão os recursos para o uso imediato, indicando uma menor ou maior necessidade de participação de recursos de terceiros.

5. Margem bruta

Mensura qual o percentual de lucro que a empesa está tendo em cada venda. Por exemplo, se você vende os produtos por R$ 50,00 e gasta R$ 30,00 para colocá-los à venda, isso quer dizer que você está lucrando R$ 20,00.

Margem bruta = lucro bruto / receita líquida x 100.

A avaliação da margem bruta é um indicador importante que permite identificar se certo produto tem uma margem melhor do que outro e, se o resultado for indesejado, rever as estratégias de operação talvez seja uma boa opção.

Além disso, a margem bruta é um indicador essencial no momento de precificar alguns produtos.

6. Margem líquida

Após pagar todas as despesas, tanto fixas como variáveis, e os tributos, a margem líquida mostra a quantia em dinheiro que a empresa lucra a cada real de receita obtido.

A fórmula é a seguinte: margem líquida = lucro líquido / receita líquida x 100.

7. Ciclo Operacional

Considera o tempo médio que o negócio leva para receber uma venda determinada. Em regra, quanto menor for o resultado do ciclo operacional, menor será a dependência da empresa em colocar seu capital de giro para custear as operações.

Ciclo operacional = prazo médio de estoques + prazo médio de recebimentos.

8. Retorno sobre o patrimônio (ROE)

É um índice que mede quanto de lucro uma empresa gera em relação aos investimentos realizados pelos acionistas ou proprietários da empresa. Mensura a capacidade de rentabilidade da instituição. O lucro é o desejo do investidor pelo risco do negócio, dessa forma, quanto maior o retorno, melhor.

ROE = lucro líquido / patrimônio líquido.

Vale lembrar que é importante acompanhar os indicadores contábeis periodicamente, já que eles são imprescindíveis para as empresas que visam investir em técnicas de gestão eficazes. As informações obtidas permitem que o gestor transforme os dados em desenvolvimento e gere ganhos para a instituição.

Para que os indicadores contábeis representem a situação financeira verdadeira da empresa, é primordial contar com uma contabilidade exata. Por isso, é interessante ter o auxílio de profissionais qualificados, que podem orientar da melhor forma e oferecer todo o suporte necessário quanto aos processos de tomadas de decisão para o negócio.

Gostou deste texto? Então, compartilhe agora mesmo em suas redes sociais para que seus amigos também entendam melhor sobre o tema!

[/et_pb_text][/et_pb_column][et_pb_column type=”1_3″][et_pb_sidebar admin_label=”Barra Lateral” orientation=”left” area=”ca-sidebar-4564″ background_layout=”light” remove_border=”off” /][/et_pb_column][/et_pb_row][/et_pb_section]

Qual sua nota sobre esse conteúdo?

Clique e avalie

Nota: / 5. Avaliações:

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Open chat
Fale com o Consultor!
Olá, como podemos ajudar?
Powered by