Dashboards

Tudo que você precisa saber sobre Indicadores Contábeis

Guia Completo dos 08 indicadores contábeis que devem ser analisados da sua empresa.

Elaboramos este e-book para mostrar os principais indicadores contábeis e a importância de cada um para o desenvolvimento do negócio. Confira em nosso e-book!!

O que você irá encontrar no material:

  • Introdução
  • Índice de Liquidez
  • Índice de Endividamento
  • Índice de Rentabilidade
  • Imobilização
  • Margem Bruta
  • Margem Líquida
  • Ciclo Operacional
  • Retorno sobre patrimônio
  • Conclusão

Preencha os campos abaixo para obter
gratuitamente o material desejado

Copyright © 2020 blog da TBS. Todos os direitos reservados.
Feito pelo time da TBS Consultoria #FacilitandoSuasDecisões

Os indicadores contábeis são resultados conseguidos por meio da análise contábil de um negócio. Eles fornecem informações relevantes sobre as operações da empresa, possibilitando a realização de uma avaliação, por intermédio de fórmulas matemáticas usadas para averiguar as demonstrações financeiras.

Com esses resultados é possível compreender a real situação financeira do negócio, tomar decisões mais acertadas, avaliar o desempenho e demais observações a respeito da instituição.

Pensando nisso, elaboramos este texto para mostrar os principais indicadores contábeis e a importância de cada um para o desenvolvimento do negócio. Confira!

1. Indicadores contábeis: índice de liquidez

Liquidez quer dizer a facilidade ou agilidade com que um ativo pode se transformar em dinheiro. Dessa forma, para mensurar a liquidez de uma empresa, usa-se como medida a capacidade que ela tem de cumprir as obrigações em curto prazo (capacidade de pagamento). Por isso, a seguir, você poderá ver os principais índices de liquidez. Confira!

Liquidez corrente

Mostra se a empresa está cumprindo com as obrigações imediatas. Para medir a liquidez corrente, são usados dados do ativo circulante, por exemplo, estoque, caixa, contas a receber, entre outros, e do passivo circulante, como empréstimos a vencer, fornecedores a pagar etc.

Sua fórmula é: Liquidez corrente = ativo circulante / passivo circulante.

Liquidez Seca

Pode-se conceituar da mesma forma da liquidez corrente, contudo, são retirados os estoques da conta, deduzindo-se que eles serão liquidados naturalmente em uma provável circunstância de exigência.

Liquidez seca = (ativo circulante - estoques) / passivo circulante.

Liquidez imediata

É um índice fácil de ser utilizado, pois considera somente o disponível na organização e o compara com o passivo circulante, observando os equivalentes de caixa (disponível) e as contas referentes ao passivo circulante.

Mostra a capacidade de pagamento da empresa sobre o que já é dinheiro ou que pode ser convertido em dinheiro de forma rápida (resgate em até 90 dias).

Liquidez imediata = recursos disponíveis imediatos / passivo circulante.

Liquidez geral

Exibe a situação da instituição em longo prazo. Ou seja, compara a capacidade em longo e curto prazo. Ao apresentar o índice menor que 1, a empresa, em tese, estaria com problemas financeiros e teria dificuldades em cumprir suas obrigações.

Liquidez geral = (ativo circulante + realizável a longo prazo) / (passivos circulantes + passivo não circulante).

2.Indicadores contábeis: índice de endividamento

Mostra o grau de endividamento do negócio, relacionando o total de ativos e o total de passivos.

A fórmula é: índice de endividamento = total de passivos (circulantes + exigível a longo prazo) / total de ativos.

O resultado encontrado indicará o percentual de capital de terceiros que a empresa tem. Quanto maior o seu valor, mais alta será a participação de capital de terceiros no andamento das atividades.

Geralmente, credores preferem endividamentos baixos, tendo em vista que quanto menores forem as dívidas, maior será a proteção contra prejuízos caso ocorra falência da empresa.

3.Indicadores contábeis: índice de rentabilidade

A rentabilidade é um indicador que serve para mensurar a capacidade de pagamento que o negócio tem com fundamento nos investimentos feitos em sua aquisição ou organização. Além disso, é possível buscar o crescimento das vendas, a redução de gastos, a abertura de filiais etc.

O cálculo da rentabilidade é feito da seguinte maneira: rentabilidade = lucro líquido / investimento total x 100.

4. Indicadores contábeis de imobilização

Esses indicadores revelam o quanto do capital da empresa está comprometido e como está sendo usado. Podem ser avaliados das seguintes formas:

Quanto maior a aplicação do ativo permanente, menor serão os recursos para o uso imediato, indicando uma menor ou maior necessidade de participação de recursos de terceiros.


5. Margem bruta

Mensura qual o percentual de lucro que a empesa está tendo em cada venda. Por exemplo, se você vende os produtos por R$ 50,00 e gasta R$ 30,00 para colocá-los à venda, isso quer dizer que você está lucrando R$ 20,00.

Margem bruta = lucro bruto / receita líquida x 100.

A avaliação da margem bruta é um indicador importante que permite identificar se certo produto tem uma margem melhor do que outro e, se o resultado for indesejado, rever as estratégias de operação talvez seja uma boa opção.

Além disso, a margem bruta é um indicador essencial no momento de precificar alguns produtos.

6. Margem líquida

Após pagar todas as despesas, tanto fixas como variáveis, e os tributos, a margem líquida mostra a quantia em dinheiro que a empresa lucra a cada real de receita obtido.

A fórmula é a seguinte: margem líquida = lucro líquido / receita líquida x 100.

7. Ciclo Operacional

Considera o tempo médio que o negócio leva para receber uma venda determinada. Em regra, quanto menor for o resultado do ciclo operacional, menor será a dependência da empresa em colocar seu capital de giro para custear as operações.

Ciclo operacional = prazo médio de estoques + prazo médio de recebimentos.

8. Retorno sobre o patrimônio (ROE)

É um índice que mede quanto de lucro uma empresa gera em relação aos investimentos realizados pelos acionistas ou proprietários da empresa. Mensura a capacidade de rentabilidade da instituição. O lucro é o desejo do investidor pelo risco do negócio, dessa forma, quanto maior o retorno, melhor.

ROE = lucro líquido / patrimônio líquido.

Vale lembrar que é importante acompanhar os indicadores contábeis periodicamente, já que eles são imprescindíveis para as empresas que visam investir em técnicas de gestão eficazes. As informações obtidas permitem que o gestor transforme os dados em desenvolvimento e gere ganhos para a instituição.

Para que os indicadores contábeis representem a situação financeira verdadeira da empresa, é primordial contar com uma contabilidade exata. Por isso, é interessante ter o auxílio de profissionais qualificados, que podem orientar da melhor forma e oferecer todo o suporte necessário quanto aos processos de tomadas de decisão para o negócio.

Baixe esse material em formato de E-book

Não existe um padrão para o ciclo de vida de uma empresa. Algumas expandem tanto seus negócios que se tornam uma megacorporação, outras, infelizmente, fracassam em suas iniciativas e acabam falindo. Porém, existe uma espécie que, para crescer, precisa de uma parceria. São aquelas empresas que entram em operação de M&A. Você deve estar se perguntando: o que é isso? Bem, não é um processo novo no mundo empresarial. Para sermos sinceros, podemos até apresentar dados de como essa iniciativa é mais comum do que se imagina. De acordo com o Valor, no primeiro trimestre de 2021, a quantidade de M&A aumentou em 50%. Interessante, não é? Neste texto, vamos apresentar as principais características dessa operação e o que é preciso para fazê-la. Confira!

O que é operação de M&A?

M&A é a sigla inglesa para mergers and acquisitions. Apesar de ser utilizada no Brasil, no português, ela pode ser substituída por F&A, ou Fusões e Aquisições. A tradução é autoexplicativa — são as operações de venda ou reorganização parcial ou total a que uma empresa se submete.

Qual é o propósito do M&A?

No começo, falamos sobre o ciclo de vida de uma empresa. O objetivo é sempre expandir, seja por conta própria ou por meio de outros mecanismos coletivos, como a venda de suas ações e parcerias. O M&A se encaixa justamente na segunda categoria. Para muitos negócios, a única forma de conseguir atingir um novo patamar é por meio de uma fusão ou adquirindo outra empresa. Essa é uma estratégia que é até uma defesa do mercado, já que pode garantir algumas vantagens relacionadas à concorrência. Um caso interessante foi o que aconteceu com a Pague Mais. A rede de drogarias comprou sua concorrente e conseguiu subir de ranking entre as maiores redes varejistas de remédios do país.

Como funciona?

Pode existir uma confusão a respeito do M&A, com algumas pessoas achando até mesmo que se trata de uma operação só por causa da junção da sigla. Mas há diferenças importantes a se considerar:

Como é feito o processo de M&A?

Por ser uma operação que envolve diversas frentes das empresas, o processo de M&A tem uma certa complexidade para a sua execução, necessitando de algumas etapas. Vamos entender mais a seguir!

Análise

Essa é uma etapa de coleta e também de avaliação das empresas envolvidas no M&A. Nesse caso, as informações dos negócios são levantadas e se avaliam as perspectivas de crescimento, os riscos envolvidos na operação, os ajustes contratuais pendentes, entre outros aspectos. É uma fase importante para definir como serão os próximos passos, além de deixar todas as expectativas dos envolvidos alinhadas. É também aqui que se elabora a LOI (Letter of Intent — carta de intenção) e o MOU (Memorandum of Understanding — memorando de entendimentos), dois documentos, um responsável por oficializar a intenção ou interesse na transação, e o outro um contrato inicial entre as partes, respectivamente.

Valuation

Nessa fase, procura-se definir ou, pelo menos, estimar qual é o valor dos negócios. Uma etapa interessante, já que tenta-se identificar o preço das empresas envolvidas por meio de diferentes critérios e métodos que vão desde analisar a saúde financeira até verificar alguns indicadores, planos de crescimento etc.

Due Diligence

A due diligence se configura como uma espécie de auditoria que será responsável por verificar se todos os dados informados no período de análise estão corretos. Se houver irregularidades, esse é o momento de resolvê-las. É importante frisar que, além da due diligence, esse também é o momento da negociação, ou seja, é hora de as partes concordarem em relação ao preço e a estrutura da operação. Se tudo estiver certo, o contrato principal e os acessórios são gerados.

Fechamento de contrato e pós

Com as partes em acordo e o contrato redigido, as empresas oficializam o M&A e o fechamento formal da operação é realizado. É nessa fase em que ocorre o pagamento, em caso de uma aquisição, e a transferência de titularidade. No pós, ainda há a finalização do processo e o registro da nova sociedade, além, é claro, do aviso oficial ao mercado. É bom saber que algumas empresas também realizam uma espécie de seguro durante a operação de M&A, para se protegerem de infrações do contrato e terem mais garantias caso encontrem irregularidades posteriores.

Como uma empresa especializada pode ajudar no processo de M&A?

A operação de M&A consiste em processos bastantes complexos, como mostramos ao longo deste texto. São análises e negociações que exigem da gestão de qualquer negócio não só conhecimento, mas tempo. Quando avaliamos o processo de due diligence percebemos como ainda é preciso ter uma auditoria separada para analisar as informações. Mesmo que a empresa possua recursos, todas essas etapas são desgastantes e trazem uma sobrecarga de diversos setores. Além do mais, existe a questão da experiência, que, para negócios que nunca realizaram essa operação, é bastante complicada e levar a erros. Por isso, a contratação de uma companhia especializada pode ser a resposta para realizar o M&A com eficácia. A TBS, por exemplo, possui uma área especializada nessa operação, disponibilizando diversas ferramentas e suporte para que a fusão ou a aquisição seja de acordo com o planejamento de ambas as partes: Somos uma empresa com 10 anos de mercado e temos experiência quando o assunto é operação de M&A. Trabalhamos, inclusive, com conhecimento dos sistemas integrados de informação, como ERP, MRP e MRO, para fornecer as melhores análises do setor financeiro dos nossos clientes. Não perca tempo, faça agora o M&A com a nossa empresa, conheça o nosso serviço exclusivo!

Empresas de grande, médio ou pequeno porte precisam de recursos financeiros para pôr em prática suas iniciativas. Isso pode parecer óbvio, mas muitos não entendem bem de onde vêm esses recursos. Quando se trata de startups, então, o entendimento pode ser ainda menor.

Os instrumentos financeiros para capitalizar são diversos, cada um fornece possibilidades e deveres, e conhecê-los é fundamental para qualquer negócio. Isso, principalmente, para startups, já que o investimento inicial quase sempre não é o suficiente para trazer a empresa à vida.

Pensando nisso, resolvemos separar aqui as principais maneiras de capitalizar uma startup. Confira!

O que são instrumentos financeiros para capitalizar?

Como falamos na introdução, todas as empresas precisam de recursos para inviabilizar seus projetos e iniciativas. Quando se é um negócio de menor porte, pode ser difícil conseguir arrecadar o necessário apenas com suas operações, sendo preciso captar essas quantias de outras maneiras, a partir de outras empresas ou pessoas interessadas.

Nesse ponto, existem instrumentos financeiros específicos que têm o intuito de fornecer o que é preciso financeiramente para que a startup realize seus objetivos e assim cresça. O interessante é que, além de dinheiro, elas ainda oferecem conhecimento.

Qual é a importância de instrumentos financeiros para capitalizar?

De maneira geral, esse tipo de auxílio é fundamental para qualquer negócio, principalmente no início. Isto porque, ao colocar uma ideia em prática, quando falamos do mundo empresarial, é preciso não só pensar no tempo gasto, mas também na questão financeira.

Uma startup, por mais sucesso que ela possa prometer, ainda precisará de um bom aporte para se sustentar até que a ideia comece a fazer sucesso. Além disso, será preciso investir em funcionários, locação e equipamentos, gerando um custo inicial para os donos. Sendo importante ir atrás desses instrumentos financeiros para obter suporte.

Contudo, não se pode esquecer que nesse período de procura desses recursos, como existem diferentes alternativas, é importante analisar cada opção com cuidado, olhando tanto aos seus benefícios quanto às suas desvantagens para fazer a melhor escolha.

Quais são os principais instrumentos financeiros para capitalizar? Conheça 5!

Bem, agora que você já entendeu o que é e por que são tão importantes esses instrumentos, vamos conhecer algumas das possibilidades que uma startup tem para arrecadar recursos para a sua melhora. Confira!

1. Venture Capital

Esta é, basicamente, uma modalidade relacionada a investidores que já possuem o costume de aplicar em empresas, portanto, são pessoas mais experientes. O modelo de negócio funciona assim: além de fornecer um aporte financeiro para que a empresa cresça, eles também compram ações do negócio — logo, se tornam sócios da startup.

Em muitos casos, o objetivo desses investidores não é ficar com as ações da empresa, mas esperar que elas se valorizem para vendê-las. Geralmente é um tipo de modelo de negócio em que os aportes sempre estão na casa do milhão.  

2. Private Equity

Aqui, não é um modelo de investimento ligado apenas a uma pessoa ou a um grupo, mas também por meio de instituições e outras empresas. Este é um fundo de investimento que aplica seu capital em negócios que estão começando, mas não de qualquer tipo. Essas startups não podem ter o capital aberto, uma das principais características do mercado de ações.

No Private Equity, aqueles que concedem recursos têm acesso a alguns direitos, como participar da gestão e fornecer orientações para as decisões da empresa. No entanto, para que esse modelo seja aplicado, o negócio precisa ter:

Justamente por isso, é comum que os investidores olhem os principais indicadores da empresa, como EBITDA, fluxo de caixa, ROE, margem líquida etc. Também é um fundo que não investe apenas em um único negócio, mas em um conjunto, para que, no longo prazo, essas companhias cresçam e se consolidem no mercado, estando preparadas o suficiente para abrirem o seu capital.

3. Vendas de ações ordinárias

Essa é uma das formas mais comuns de conseguir recursos para uma companhia. No caso das startups, existe até um nome para elas no mercado da bolsa: Small Caps. Aqui, esses negócios abrem o capital e disponibilizam porcentagens da empresa para os negociadores da bolsa. Basicamente, o que representa cada parte são as ações — assim, quanto mais um investidor compra, mais participação ele tem.

Contudo, é preciso diferenciar: existem dois tipos de ações disponíveis, as ordinárias e as preferenciais. A primeira dá ao detentor o direito ao voto em relação às medidas do negócio, já a segunda, não oferece esse benefício, mas traz preferência no pagamento dos proventos.

4. Capital semente

Também conhecido como investimento Seed ou Seed Money, essa é uma modalidade parecida com a venture capital. Também são indivíduos que fornecem recursos para ajudar o negócio a crescer, entretanto, esse dinheiro não é utilizado para as empresas que estão começando, e sim, para aquelas que têm produtos e serviços já lançados. O grupo de investidores do capital semente é composto por pessoas jurídicas.

Os recursos fornecidos podem ser utilizados para melhorar as locações, comprar equipamentos, contratar mais funcionários e tudo que tiver relação com a melhoria dos processos da empresa. Os valores captados são um pouco mais baixos que na venture, entre R$ 300 mil a R$ 2 milhões.

5. Investimento anjo

É bastante conhecido como modalidade de investimento para startups e, diferente dos outros, não há a possibilidade de ser feito por um grupo ou fundo. Nesse caso, um investidor aplica seu patrimônio em negócios que estão na fase inicial, mas que já mostram possibilidades de crescimento e retorno.

O perfil do investidor anjo é feito por empreendedores, donos de outras empresas e profissionais liberais com interesse nesse tipo de modelo de negócio. Eles podem aportar sozinhos ou com outros investidores, aplicando cerca de R$ 50 mil a R$ 600 mil.

Ao longo deste texto, explicamos para você quais são os instrumentos financeiros para capitalizar uma startup e por que é tão importante conhecê-los. Destacamos que é fundamental a atenção às necessidades financeiras do seu negócio, além de avaliar a capacidade de crescimento da empresa no longo prazo.

Como mostramos, algumas das possibilidades exigem que a startup demonstre resultados equilibrados, tenha condições de lidar com suas dívidas e seja capaz de crescer e dar retornos.

Gostou do nosso texto? Aproveite para conhecer o TBS LAB, hub de inovação da TBS Consultoria, clique aqui.

O mercado vem sofrendo uma grande transformação, e a contabilidade tem acompanhado essa mudança. Hoje em dia, as organizações querem ser mais estratégicas para tomar melhores decisões, mas para isso é necessário ter acesso a dados relevantes e clareza nas informações obtidas na gestão. Assim, é essencial ter uma contabilidade mais estratégica. É aí que entra a contabilidade inteligente. Ela é um novo método de fazer contabilidade, que organiza os dados mais relevantes do seu negócio, a fim de conquistar mais precisão nos resultados. Além disso, consegue transformá-los em informações de muito valor para a gestão e apontar para os gestores a direção que a empresa está seguindo. Mas você sabe como a contabilidade inteligente pode te ajudar? Neste post falaremos sobre as suas principais vantagens. Acompanhe!

Gestão mais eficiente

Uma das suas maiores vantagens é poder utilizá-la como uma estratégia muito eficiente de gestão, que vai assegurar a conquista de resultados mais significativos. Dessa forma, evitará que sua organização, devido à sua má gestão contábil, tenha que pagar determinadas multas e arcar com custos desnecessários. Um exemplo disso são os erros de faturamento, que podem causar grandes prejuízos. A contabilidade inteligente permite que você controle suas faturas e saiba quem deve o que, bem como as datas de pagamento, devido ao fato de oferecer informações mais precisas sobre todos os processos relacionados à contabilidade da empresa.

Eficiência tributária

Com esse tipo de contabilidade, você poderá conduzir análises regulares de eficiência tributária ao longo do ano financeiro, garantindo que sua empresa seja administrada de maneira mais eficiente nos assuntos fiscais. Será possível também atuar de modo mais consultivo, em várias questões ligadas à gestão trabalhista e fiscal da organização. O fato é que se manter em dia com o Imposto de Renda é um aspecto importante da administração de qualquer empresa. Além disso, é muito complexa e extensa a legislação responsável pela regulamentação das áreas que envolvem a contabilidade. Sendo assim, é muito provável que o gestor de uma empresa não seja um bom conhecedor dessas legislações. Felizmente, com a contabilidade inteligente, torna-se mais fácil realizar esses processos tributários corretamente, evitando erros de cálculo ou imprecisões ao preencher seus formulários fiscais.

Melhor tomada de decisões

Ao implementar esse tipo de contabilidade, existe um foco constante no relatório e na disponibilidade de informações atualizadas para a tomada de decisões. A grande verdade é que diversos gargalos que acontecem na organização estão ligados às decisões que são tomadas de modo equivocado, sem se apoiar em dados de fatos concretos, que muitas vezes também são mal interpretados. Em outras situações, quando há dados precisos na tomada de decisões, ela pode demorar muito para chegar ao gestor da empresa. Com a contabilidade inteligente, os gestores conseguem ter acesso a essas informações importantes no tempo certo, permitindo que certas decisões relevantes possam ser tomadas com eficiência. Por fim, saiba que essas são apenas algumas das muitas vantagens da contabilidade inteligente para sua empresa. Para ser implementada, uma equipe especializada realiza o mapeamento dos processos e da parte fiscal e contábil da organização. Logo após, é essencial alinhar as atividades necessárias e o cronograma, a fim de obter êxito nessa transição. Dessa forma, é possível ver rapidamente a melhora na qualidade dos indicadores e das informações fornecidas, por exemplo, para atender as demandas da sua empresa. Curtiu nosso post? Deseja ler mais conteúdos como este? Então, cadastre-se em nossa newsletter ou curta nossa página no Facebook e fique muito bem informado!

Você sabe o que são os relatórios gerenciais? Eles são de extrema importância para as empresas, pois ajudam os gestores a tomar melhores decisões em vários departamentos.

Pensando na relevância desse tema, neste post explicaremos detalhadamente o que são os relatórios gerenciais, qual é a sua importância e quais são os principais tipos de relatórios. Também forneceremos dicas que ajudarão você a fazer um relatório eficiente. Acompanhe!

O que são relatórios gerenciais?

Não há muitos segredos em relação a esse conceito. Os relatórios gerenciais fazem referências a documentos que apresentam indicadores ou informações que ajudam as empresas a mensurar ou medir algum aspecto de resultado em uma organização.

Dessa forma, esse documento pode ser utilizado para diversas finalidades. Entre elas estão controlar o desempenho dos diversos setores da empresa, medir a produtividade, analisar os resultados econômico-financeiros etc.

Qual é a importância desse documento?

O relatório gerencial é muito útil e proporciona diversos benefícios para as organizações. Exemplos são a mensuração de resultados, análise de dados, otimização dos processos, entendimento da real situação do negócio e a elaboração de planos empresariais estratégicos.

Quais são os principais tipos de relatórios gerenciais?

De forma geral, os relatórios gerenciais são mais um dos instrumentos utilizados pelas empresas para conseguir entender melhor seus processos. Portanto, são de extrema importância, pois, com suas informações, ajudam os gestores a tomar melhores decisões em vários departamentos.

No entanto, a dificuldade pode estar em saber como fazê-los e quais são os tipos, já que existem vários. Por isso, pensando na relevância desse tema, neste post explicaremos detalhadamente o que são os relatórios gerenciais e quais são os principais tipos de relatórios. Acompanhe!

O que são relatórios gerenciais?

Não há muitos segredos em relação a esse conceito. Os relatórios gerenciais fazem referências a documentos que apresentam indicadores ou informações que ajudam as empresas a mensurar ou medir algum aspecto de resultado na organização.

Dessa forma, esse documento pode ser utilizado para diversas finalidades. Entre elas, estão controlar o desempenho dos diversos setores da empresa, medir a produtividade, analisar os resultados econômico-financeiros, etc.

Quais são os objetivos e a importância dos relatórios gerenciais?

Eles são muito úteis, pois proporcionam diversos benefícios para as organizações. No entanto, como existem diversos relatórios gerenciais, cada um destinado a um tipo de necessidade, sua importância dependerá de qual é o propósito. Porém, de maneira geral, esse documento serve para:

Quais são os principais tipos de relatórios gerenciais?

Como destacamos anteriormente, os relatórios gerenciais são utilizados para diferentes objetivos. Por isso, existem vários tipos de relatórios gerenciais. Entre os principais estão:

Como as empresas podem alcançar os resultados utilizando os relatórios?

Os relatórios gerenciais são uma importante ferramenta para o negócio, principalmente pela sua capacidade de mensurar o que realmente acontece na empresa, como ela executa os seus processos e se eles trazem realmente resultados.

Ter essa visão é muito importante para qualquer gestão, já que possibilita entender quais iniciativas implementadas continuam e quais não. Além disso, pode auxiliar na definição dos planos de ação e no controle de processos, aumentando a transparência e segurança das atividades.

De que forma eles ajudam na tomada de decisão?

Para que se desempenhe uma boa gestão, é necessário que, além de uma boa equipe que seja capaz de elaborar e analisar as informações gerenciais, a empresa possua processos e atividades bem definidas para que nenhum ponto relevante fique descoberto.

Às vezes, uma decisão importante sobre um investimento, por exemplo, pode ser influenciada negativamente pela falta de ferramentas e informações que permitam a melhor decisão. Por isso, os relatórios são fundamentais para a gestão, principalmente, para diminuir as possibilidades de erros na tomada de decisão, dando mais segurança, já que são baseados em dados.

Como fazer um relatório eficiente?

Essa pergunta, inicialmente, pode deixar muitas pessoas em dúvida. Porém, como referência, os seguintes passos podem auxiliar a elaborar um relatório gerencial:

Qual é a importância de automatizar esses relatórios?

Esses documentos contêm informações importantes sobre a rotina e a execução dos processos, contudo, justamente por ter esses dados, sua elaboração precisa ser correta. A melhor maneira de garantir isso e de assegurar que seu conteúdo estará isento de erros, é por meio da automatização. Isto é, utilizar softwares especializados que são capazes de juntar e organizar as informações de maneira rápida e prática.

Como o auxílio de uma consultoria pode ajudar?

Claro que uma empresa pode gerar e analisar relatórios gerenciais por conta própria, entretanto, é preciso dizer que esse não é um processo tão simples. O investimento em ferramentas tecnológicas e também em profissionais que sejam capazes de operá-las e traduzir sua linguagem para o que acontece na empresa é necessário.

Muitas vezes, investir em equipe interna qualificada e em ferramentas operacionais não está ao alcance do investimento no momento da empresa. Nesse sentido, contratar uma consultoria é a melhor opção. Ali, terá uma equipe especializada, pessoas com experiência no mercado que poderão não só gerar relatórios fundamentais, mas que estarão prontos para oferecer todo o suporte necessário para compreendê-los. Além disso, terá a certeza de ter disponível ferramentas atualizadas para elaborar os melhores documentos.   

Vale destacar que a TBS Consultoria trabalha com relatórios gerenciais sofisticados e compatíveis com o mercado, que são apresentados em dashboards. Esse é um dos principais diferenciais da empresa. Além disso, oferecemos relatório via Dashboard sobre demonstrações financeiras como Índice de Liquidez, EBITDA, Demonstração dos Fluxos de Caixa, Ciclos Operacionais, entre outros.

Bem, até aqui vimos que os relatórios gerenciais são essenciais para o desenvolvimento dos negócios, pois proporcionam informações estratégicas e que ajudam as empresas a crescerem no mercado.

Considerando a importância desses documentos, é importante conhecer as suas principais características para que você possa aplicá-los e aproveitá-los da forma mais otimizada possível na sua organização.

Caso esteja precisando de ajuda na gestão, principalmente, na elaboração de relatórios gerenciais, queremos te convidar a conhecer os serviços da TBS Consultoria! Temos o suporte certo para o seu negócio!

SIA - SOLUÇÃO INTEGRADA PARA AQUISIÇÕES

Fale com Nossos Consultores

    SOLUÇÃO INTEGRADA PARA AQUISIÇÕES

    Workflow

    Agilidade e segurança durante todo o processo, atuação de equipe multidisciplinar e com experiência em + 60 transações

    • Oportunidade de novos investimentos
    • Avaliação do negócio
    • Estruturação do projeto
    • Aprovação do investimento
    • Aquisição do negócio
    • Transição e geração de resultado

    NOVOS NEGÓCIOS – FLUXO COMPLETO

    PRÉ-CLOSING

    PROSPECÇÃO

    • Organização de informações preliminares;
    • Análise de dados e notas explicativas;
    • Relatórios semanais de atualização de status e avaliações em andamento;
    • Após acordos de confidencialidade, elaboração de indicadores financeiros;
    • Revisão de minutas intermediárias para troca de informações.

    M&A

    • Valuation (6/6 meses);
    • Diagnóstico econômico;
    • EBTIDA e indicadores de performance;
    • Laudos e cenários econômicos, projeções;
    • Elaboração de Memorando de Entendimentos ou Carta de Intenções.

    DD

    • Revisão contábil, fiscal, trabalhista e previdenciária;
    • Análise de processos judiciais e passivo tributário;
    • Revisão financeira (controles e conciliações);
    • Controles internos;
    • Gerenciamento técnico e andamento da DD *Em caso de ser realizada por 3º;
    • Interface com auditoria externa;
    • Ponderação de compliance e corporate governance.

    PROPOSTA

    • Suporte à precificação;
    • Suporte contábil à questões societárias e jurídicas;
    • Revisão de cenários e projeções;
    • Indicadores e reflexos de ajustes identificados na DD;
    • Organização do funding;
    • Delimitação de eficácia jurídica da proposta;
    • Pré Negociação de obrigações contratuais.

     

    PÓS-CLOSING

    TRANSIÇÃO

    • Mapeamento de procedimentos administrativos e de controle;
    • Avaliação de cargos e salários;
    • Integração de sistemas e mapeamento de procedimentos manuais;
    • Implantação de pontos da DD;
    • Formalização de SPA, e de aditivos específicos amoldados à proposta.

    OUTSOURCING

    • Outsourcing das áreascontábil, fiscal, dpto. pessoal e backoffice financeiro;
    • Implantação de dashboards;
    • Contabilidade estratégica;
    • Redução de custos administrativos;
    • Suporte estratégico nas ações e decisões tributárias e trabalhistas da empresa;
    • Compliance tributário;
    • Corporate Governance, acordos de sócios e bylaws.

    CONTROLADORIA

    • Modelagem econômica;
    • Planos estruturais;
    • Budget e forecast;
    • Estruturação das operações financeiras;
    • Aspectos operacionais e estratégico
    • Redesenho de processos (BPM);
    • Implantação de sistemas;
    • Gerenciamento de projetos (PMO).

    GOVERNANÇA

    • Conselho de Administração;
    • Comitê de Ética eCompliance;
    • Comitê de auditoria;
    • Auditoria externa;
    • Avaliação do retorno do investimento;
    • Comunicação e relacionamento com mercado.

    Nosso modelo de trabalho

    "Sed ut perspiciatis unde omnis iste natus error sit voluptatem accusantium doloremque laudantium, totam rem aperiam, eaque ipsa quae ab illo inventore veritatis et quasi architecto beatae vitae dicta sunt explicabo. Nemo enim ipsam voluptatem quia voluptas sit aspernatur aut odit aut fugit, sed quia consequuntur magni dolores eos qui ratione voluptatem sequi nesciunt. Neque porro quisquam est, qui dolorem ipsum quia dolor sit amet, consectetur, adipisci velit, sed quia non numquam eius modi tempora incidunt ut labore et dolore magnam aliquam quaerat voluptatem. Ut enim ad minima veniam, quis nostrum exercitationem ullam corporis suscipit laboriosam, nisi ut aliquid ex ea commodi consequatur? Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem eum fugiat quo voluptas nulla pariatur?

     

    "Sed ut perspiciatis unde omnis iste natus error sit voluptatem accusantium doloremque laudantium, totam rem aperiam, eaque ipsa quae ab illo inventore veritatis et quasi architecto beatae vitae dicta sunt explicabo. Nemo enim ipsam voluptatem quia voluptas sit aspernatur aut odit aut fugit, sed quia consequuntur magni dolores eos qui ratione voluptatem sequi nesciunt. Neque porro quisquam est, qui dolorem ipsum quia dolor sit amet, consectetur, adipisci velit, sed quia non numquam eius modi tempora incidunt ut labore et dolore magnam aliquam quaerat voluptatem. Ut enim ad minima veniam, quis nostrum exercitationem ullam corporis suscipit laboriosam, nisi ut aliquid ex ea commodi consequatur? Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem eum fugiat quo voluptas nulla pariatur?"

    Escritório Moderno, preparado para absorver as demandas da sua empresa - TBS
    Escritório Moderno, preparado para absorver as demandas da sua empresa.

    Fale com Nossos Consultores

      10 anos de experiência,

      Fundada em 2010, a empresa tem uma jornada marcada por grandes evoluções e conquistas. Com o serviço de outsourcing, oferece aos clientes toda a parte de gestão e operacionalização das áreas contábil, fiscal e departamento pessoal.

      Time experiente e qualificado

      Equipes comprometidas com o mesmo propósito, integradas por profissionais de alta qualidade e com vasto conhecimento técnico, facilitando assim a tomada de decisões estratégicas dos clientes.

      Somos um verdadeiro parceiro estratégico

      Atuação além da prestação de serviços, focada no planejamento e parceira estratégica das empresas que atende, além oferecer soluções e participação efetiva nas atividades desenvolvidas.

      Conheça todos os nossos serviços:

      Possuímos um Propósito que permeia nossa existência, é o nosso PTM. Quer saber mais sobre? Clique aqui.
      Ser um Facilitador Indispensável para tomada de decisões dentro das empresas - TBS

      No mundo corporativo há uma série de atividades e serviços que ficam no chamado ‘background’ das corporações. Muitas dessas atividades são fundamentais para o dia a dia corporativo, e que acabam refletindo na produtividade do negócio e na satisfação do cliente.

      O BackOffice se refere à retaguarda administrativa/financeira, responsável por resolver problemas rotineiros nas empresas, ou seja, ele corresponde aos bastidores de uma empresa.

      Tarefas como emitir notas fiscais, organizar cobranças, enviar informações ao contador e outras rotinas administrativas em geral fazem parte do backoffice de qualquer negócio.

      Para uma gestão interna adequada e precisa, organizar e automatizar os processos do BackOffice é fundamental. Ele tem como objetivo manter os processos fluidos, alinhados de acordo com a demanda da empresa, permitindo maior produtividade, agilidade e flexibilidade na administração do negócio.

      Para isso, você pode contar com soluções de gestão e otimização de processos adequadas ao seu negócio, como um ERP.

      Entenda o que é BackOffice e como a automatização dos processos pode tornar a rotina mais fluida e com menores chances de erros, além desse sistema trazer benefícios para a empresa!

      Como funciona a automação de processos?

      Nas empresas, o BackOffice está presente de diversas maneiras por meio de um sistema de gestão integrado, desempenhando atividades e controlando tarefas administrativas, financeiras, etc.

      A automação proporcionada com a ajuda do BackOffice, ajuda a reduzir drasticamente os erros, e tem atuação direta sobre as melhorias de serviços e produtos, além de proporcionar uma gestão escalável que atenda as mais diversas necessidades operacionais de uma empresa.

      Por isso, automatizar o sistema BackOffice é essencial para construir um bom relacionamento entre empresa e consumidor. Para entender melhor essa relação, separamos 5 benefícios que o backoffice  pode trazer para sua empresa. Confira!

      Quais os benefícios da automação?

      É inegável que, direta ou indiretamente, todas as tarefas do BackOffice geram despesas, seja pelo uso de mão de obra qualificada ou de recursos da empresa. Porém, em um sistema automatizado colaboradores podem participar de processos que exigem maior poder de decisão e estratégia, além de dispensar o gasto com treinamentos.

      O controle de custos também pode ser acompanhado pelo gestor por meio de dashboards que oferecem uma visão mais clara e indicadores dos setores.

      Por esse motivo, o processamento ágil das informações automatizadas além de se tornar um diferencial competitivo, aumenta a eficiência do controle de custos e gera a redução de gastos, já que se torna muito mais fácil instaurar um processo seguro e mapeado, com menos erros e desperdícios.

      Tarefas comuns do setor administrativo/financeiro, como gestão de documentos, emissão de notas fiscais, formulários de pedidos e protocolos de atendimento, por exemplo, demandam atenção e cuidado extra, uma vez que muitas delas possuem valor jurídico e exigem um controle confiável o que gera a demora no processamento.

      Com a automação, há uma simplificação dos processos burocráticos, com o envio de documentos sendo feito sem interferências, de acordo com as exigências das políticas internas da organização e conforme as regras da legislação. Sem contar a diminuição de papel, que evita a duplicação de informações e o acúmulo de papéis no ambiente corporativo — o que também reduz custos.

      As tarefas no BackOffice englobam diversos colaboradores de vários setores, como financeiro, jurídico, estoque, relacionamento com o cliente, etc.

      A ferramenta de automação e controle viabiliza a centralização de todas as tarefas em uma só plataforma, garantindo que todos os setores consigam ter pleno acesso aos projetos da empresa.

      Dessa maneira, metodologias automatizadas também garantem a segurança e integridade dos dados. Assim, todos os envolvidos no processo tem conhecimento e visão do negócio como um todo.

      Além disso, a empresa pode utilizar todo esse material para gerar indicadores, metas e monitorar o andamento dos negócios. Veja alguns exemplos de melhorias

      Gestão e análise estratégica de dados: entenda qual a importância!

      A automação dos processos de BackOffice permite uma produtividade maior e mais flexibilidade na administração e gestão do seu negócio.

      Por meio da tecnologia, é possível ganhar eficiência, o que impacta diretamente a produtividade.

      Os sistemas de automação permitem entregar aos usuários e gestores exatamente o que foi planejado e no tempo certo. Assim, a empresa poderá realizar tarefas em menos tempo, com menos custos, equipe enxuta e processo ágil. O que possibilita o auxílio aos gestores na implantação de melhores estratégias de negócios.

      A importância do BackOffice nas empresas

      As ferramentas de automação de processos trazem benefícios no BackOffice que são refletidos também na melhoria do atendimento ao cliente.

      Possuir um controle dos processos administrativos, permite que toda a rotina no negócio seja mapeada e qualquer alteração pode ser identificada de forma rápida.

      Para implantar o sistema em seu negócio, a dica é contratar uma empresa especializada e que conte com soluções referentes à automação dos processos. Com uma visão mais ampla e integrativa, os gestores possuem dados mais precisos para tomadas de decisão assertivas, que beneficiam a empresa, sua equipe e seus clientes.

      A automação de BackOffice é um dos serviços oferecidos pela TBS. Se interessou? Saiba mais. Aqui.

      Acompanhe o nosso blog para entender a importância da melhoria contínua para as empresas.

      Entender sobre a importância do registro contábil para sua empresa, além de sua obrigatoriedade, faz uma grande diferença. A Contabilidade é um instrumento que fornece o máximo de informações contábeis vitais para a tomada de decisões da empresa, por meio desta é possível mensurar o patrimônio comercial, ou seja, o conjunto dos bens, direitos e obrigações do empresário.

      As sociedades empresariais são obrigadas a seguir um sistema de contabilidade que inclua o Balanço Patrimonial, por imposição do Artigo 1.179 do Código Civil. De acordo com os artigos 1.180 e 1.181 do mesmo código estipula uma obrigatoriedade da autenticação do Livro Diário no órgão competente com a escrituração contábil evidenciada.

      O que é Livro Caixa?

      Este é destinado para registrar as entradas e saídas de uma empresa, sendo registrado todos os recebimentos e pagamentos feitos em dinheiro, cheque e transferência, como água, energia elétrica, telefonia, materiais de escritório e outras necessidades que a empresa tenha. Materiais de escritório, etc.

      Quais empresas devem ter um livro caixa?

      O livro caixa pode ser usado por empresas de qualquer porte, desde que façam o registro corretamente. Isto é, anotar todas as entradas e saídas financeiras, registrar os recebimentos, pagamentos e demais atividades.

      Como principal vantagem de se usar o livro caixa, pode-se destacar que o trabalho se resume apenas o preenchimento do Livro Caixa. No caso de empresas optantes pelos Simples Nacional e Lucro Presumido, a desvantagem é que na distribuição de lucros, a isenção fica limitada a um percentual do lucro. Mas a legislação do imposto de renda aceita o Livro Caixa com as limitações que são impostas a quem desejar fazê-lo.

      Todos os itens do livro caixa podem ser organizados em uma planilha ou mesmo utilizando um software próprio para esta finalidade. O livro caixa também pode ser um importante mensurador para o Imposto de Renda. No entanto, uma gestão financeira bem planejada deve ser a ferramenta fundamental na elaboração do livro.

      Automação contábil: entenda como funciona e quais seus benefícios!

      Escrituração Contábil e os Regimes de Tributação

      É por meio da Contabilidade que a empresa poderá gerir melhor seu negócio, pois através dos registros que são realizados, é possível acompanhar e manter o controle de todo patrimônio da empresa. As empresas do Lucro Presumido ou Simples Nacional podem optar pela contabilidade ou livro caixa. Ao realizar a contabilidade, a empresa terá o máximo de informações imprescindíveis para melhor gerir o negócio.

      Empresas tributadas pelo Lucro Real estão automaticamente obrigadas a manter a escrituração contábil, afinal, a apuração do IRPJ e da CSLL é feita com base nos lançamentos contábeis.

      Entenda quais são os tipos de regimes tributários e como eles funcionam

      Vantagens sobre a contabilidade

      As empresas que adotarem a contabilidade, precisarão apresentar também o Balanço Patrimonial, DFC e DRE. Veja a seguir, algumas das vantagens de fazer a contabilidade de uma empresa. Confira!

      Para as empresas que têm escrituração contábil, há uma vantagem sobre a possibilidade de realizar distribuição dos lucros sem limitações. O mesmo vale para empresas do Lucro Presumido, quanto para o Simples Nacional.

      Assim, se a empresa tiver um lucro de R$ 1.000.000,00 (por exemplo), este valor poderia ser distribuído para os sócios, sem incidência de imposto de renda.

      Saiba como a TBS pode ajudar na gestão contábil do seu negócio

      Como vimos, é muito importante manter todas as movimentações do livro-caixa em dia para ter controle de todos os gastos e também saber como está a situação financeira da sua empresa.

      Assim, tanto o Livro Caixa como a contabilidade são ferramentas que podem auxiliar o gestor no melhor andamento do negócio e no entendimento das questões contábeis.

      A TBS é uma empresa especialista em criar estratégias. Disponibilizamos para nossos seus clientes ferramentas para que todas as etapas da escrituração contábil sejam simplificadas, facilitando a operação cotidiana, proporcionando mais transparência e eficiência. Além de oferecer um software de gestão financeira para facilitar os processos.

      O principal diferencial é a qualidade dos serviços prestados, focado em uma consultoria ativa e totalmente presente, ajudando a empresa buscar os resultados almejados e expostos no planejamento do negócio.

      De modo geral, a TBS efetua as escriturações dos setores contábil, fiscal e pessoal, bem como realiza o cumprimento das suas obrigações acessórias, prestando um atendimento consultivo.

      Você pode saber mais sobre como fazer um é planejamento tributário e qual sua importância!

      E você o que pensa a respeito deste assunto?

      Entre já em contato com a gente.

      Service Specification

      Most products fall between these two extremes. For example, a restaurant provides a physical good, but also provides services in the form of ambience, the setting and clearing of the table, etc.

      Service Specification

      Most products fall between these two extremes. For example, a restaurant provides a physical good, but also provides services in the form of ambience, the setting and clearing of the table, etc.

      Service Specification

      Most products fall between these two extremes. For example, a restaurant provides a physical good, but also provides services in the form of ambience, the setting and clearing of the table, etc.

      Service Specification

      Most products fall between these two extremes. For example, a restaurant provides a physical good, but also provides services in the form of ambience, the setting and clearing of the table, etc.

      Elemento TBS LAB

      Matriz CSD: ferramenta iniciadora de projetos que funciona a partir de três áreas fundamentais: certezas, suposições e dúvidas, ajudando a promover a boa gestão da informação e do conhecimento entre a equipe;

      Consultorias com agilidade e inovação: trabalhar com ferramentas que permitem acompanhar o planejamento, a execução e os indicadores de gestão do processo em tempo real;

      Brainstorming: os colaboradores poderão ter a ter liberdade de expor suas sugestões e debater sobre as contribuições em equipe;

      Mapa da Empatia: compreender o que o cliente deseja e, assim, oferecer produtos, serviços e atendimento mais adequados.

      Mapa Jornada/Experiência do usuário: melhorar a experiência do cliente e estar sempre disponível para apresentar soluções, mantê-los engajados e desenvolver um relacionamento duradouro.

       

      Conceito

      Mais do que um conceito, é parte do nosso propósito, quando desenhamos em ser indispensável nas empresas, buscar soluções que surpreenda, utilizando a essência da inovação e tecnologia, o TBS LAB possibilita esses voos altos.

       

      Design Mindset

      No TBS LAB, escolhemos o Design Mindset​, que se baseia na crença dos valores humanos, e com isso pensamos em ofertar produtos e serviços que possam entregar valor aos nossos clientes, parceiros e impactar de forma positiva a sociedade.

       

      Brainstorm

      Teremos um local dedicado para pesquisa e desenvolvimento de projetos, consultorias, onde iremos fornecer apoio e ferramentas necessárias para a criação das soluções solicitadas, utilizando metodologias ágeis, troca de experiência, e brainstore, ou seja, cada ideia importa.

       

      Cases de Sucesso

      Com metodologias eficazes já desenvolvidas e cases de sucesso, a TBS acredita que todos os negócios e processos podem melhorar, para atender demandas, e resolver problemas reais.