Due Diligence

O que é Due Diligence e qual sua importância para a empresa?

Por |

Você, como gestor de empresas, já parou para pensar como anda a atual situação dos diferentes setores que a compõem? Como será que os processos relacionados às áreas fiscal, contábil e trabalhista estão sendo conduzidos? Esse tipo de acompanhamento é vital para a sobrevivência e o crescimento de qualquer negócio. Existem situações, entretanto, que necessitam mais do que uma auditoria.

Neste post, vamos explicar o que vem a ser a Due Diligence e quando ela é exigida. Além disso, vamos explicar por que ela é diferente da auditoria, para que serve e como aplicá-la. Aqui, você vai descobrir os principais benefícios dessa prática, tais como a exposição das fraquezas operacionais, a avaliação dos riscos, o conhecimento da concorrência etc.

Achou o tema interessante? Acompanhe os principais detalhes associados a esse processo e entenda as razões para realizá-lo na sua empresa!

O que é Due Diligence?

O mundo corporativo é composto por inúmeros equívocos. A lista, certamente, vai longe. Um dos erros mais comuns consiste em confundir a Due Diligence com uma auditoria independente. Caso alguém tenha defendido a teoria de que os procedimentos são idênticos, desconfie.

Muito mais minucioso do que uma auditoria, a Due Diligence é um conjunto de procedimentos que visam proporcionar uma verdadeira varredura na empresa. O ganho em detalhes justifica-se: essa diligência prévia é pré-requisito durante as transações que envolvem compras e vendas de organizações.

Naturalmente, o alvo da operação é a empresa a ser comercializada. Assim, o profundo processo de investigação interna pode ser solicitado por qualquer uma das partes interessadas na negociação. Também é de se esperar que a Due Diligence foque as suas atenções em todos os pilares de qualquer organização. Nós estamos falando sobre os seguintes departamentos:

  • operacional;
  • contábil;
  • tributário;
  • trabalhista;
  • jurídico.

Depois desse verdadeiro pente fino, é possível avaliar as reais condições da empresa que está aberta a negociações de compra. Afinal, toda e qualquer inconsistência de dados ou informações é levantada durante o processo. Desse modo, a empresa compradora passa a ter ciência das vantagens e desvantagens atreladas àquela negociação.

Qual é a grande diferença entre a Due Diligence e a auditoria?

Pode-se afirmar que a Due Diligence até usa parâmetros parecidos com aqueles presentes nos procedimentos executados pelos auditores. Convém notar, todavia, que os objetivos são distintos. No fundo, a auditoria visa a averiguar a realidade das demonstrações financeiras.

Enquanto isso, a Due Diligence mantém uma lupa sobre a correlação estabelecida entre os passivos e os possíveis riscos que eles podem gerar. Portanto, há uma divergência entre o peso das ações empregado em cada caso.

Quais são as perguntas que devem ser respondidas?

Se uma empresa solicita a Due Diligence, é sinal de que os gestores estão vislumbrando uma possível negociação em um médio ou longo prazo. Também é compreensível que surja o interesse em descobrir qual é o valor do negócio naquele momento. No mesmo sentido, qual seria a projeção de valor da empresa após determinado período?

A Due Diligence pode auxiliar na busca de perguntas como essa, pois ela analisa os fatores que interferem nos resultados alcançados pelas organizações. Todos esses questionamentos devem constar, em certa medida, no planejamento estratégico da empresa. Afinal, as melhores práticas de gestão estão alinhadas à antecipação dos fatos.

Quando a empresa pode aplicar e para que serve a Due Diligence?

A empresa pode aplicar a Due Diligence sempre que houver a possibilidade de acontecer uma transação, por exemplo, aquisição, incorporação ou fusão. Por outro lado, a técnica também será útil quando os gestores precisarem compreender se os investimentos futuros serão viáveis e entender possíveis riscos. O processo é crucial quando as organizações realizam negócios.

Quais são os processos da Due Diligence?

Due Diligence abrange praticamente todos os processos da empresa e engloba diversos setores na realização das análises: finanças, contabilidade, recursos humanos, controladoria etc. São investigados os procedimentos, as pessoas, os bancos de dados, os documentos, as questões financeiras, fiscais e jurídicas. Além do mais, são averiguadas as vendas, clientes, concorrentes e propriedades intelectuais.

Sendo assim, vários processos são efetuados durante a Due Diligence. Contudo, os profissionais contratados para realizar a atividade seguem etapas predeterminadas. A abordagem inicial e o planejamento são importantes para designar o acesso às pessoas, sistemas e documentos que é permitido após a contratação com cláusula de confidencialidade para a proteção dos dados sensíveis.

Após firmar o acordo, os consultores levantam os dados constantes em arquivos, livros contábeis, entrevistas, contratos, ferramentas tecnológicas e outras fontes para fazer o diagnóstico. Em seguida, eles estudam, cruzam e interpretam as informações para encontrar oportunidades e riscos. Por fim, documentam os resultados para a tomada de decisões criando um relatório.

Quais são os benefícios dessa prática?

A prática serve de base para melhorias nas áreas de compliance e governança corporativa. Ela traz diversos benefícios, pois mostra a real situação dos negócios, aponta ilegalidades, possibilita a descoberta de fraudes que podem causar danos irreparáveis e informa quais serão os resultados de investimentos. Veja a seguir outras vantagens de investir no processo Due Diligence!

Exposição das fraquezas operacionais

As análises expõem as fraquezas operacionais, uma vez que elas visam o autoconhecimento das empresas. Os gestores podem enxergar as principais falhas das operações, tais como gastos fiscais ou tributários desnecessários, redundância nos processos, erros no atendimento aos clientes e outras dificuldades que passavam despercebidas. Ao acessar essas informações, fica mais fácil corrigir os problemas.

Avaliação dos riscos e oportunidades

O processo de Due Diligence, após ser iniciado, resultará em uma compreensão mais aprofundada dos negócios. Isso será benéfico aos investidores e aos empresários que poderão elaborar planos de ação mais efetivos. Afinal de contas, uma visão ampliada favorece a criação de novas estratégias, bem como permite o aproveitamento de oportunidades que se tornam mais visíveis.

Conhecimento da concorrência

A adoção das práticas da Due Diligence é relevante para a visualização da realidade dos outros negócios que já estão no mercado. Elas apontam os concorrentes e, consequentemente, os gestores conseguem definir o que precisa ser feito para superar a concorrência. Estratégias mais eficientes poderão ser criadas para vencer as ameaças e tornar visíveis os pontos fortes de uma empresa.

Melhora do posicionamento no mercado

Como você pode ver, os procedimentos são cruciais para alcançar novos investidores e melhorar o posicionamento da empresa no mercado. Os documentos gerados pela Due Diligence são argumentos fortes para alcançar privilégios e captar recursos.

Entendeu o que é Due Diligence e qual sua importância para a empresa? Uma boa consultoria, como a TBS, pode ajudar você a implementar e analisar os processos provenientes dessa prática. Ela é uma empresa que oferece suporte aos seus clientes e atua em várias áreas relacionadas às questões estratégicas, outsourcing contábil e fiscal!

Gostou das informações fornecidas neste artigo sobre Due Diligence e precisa de outras informações? Entre em contato conosco e fale com consultores especializados!

Qual sua nota sobre esse conteúdo?

Clique e avalie

Nota: 5 / 5. Avaliações: 1

Nenhuma avaliação, seja o primeiro!