Entenda como funciona o processo de fusão empresarial

Por |

A concorrência entre empresas costuma ser sinônimo de rivalidade. Entretanto, o empresário pode enxergar em um concorrente a oportunidade de unir forças e expandir o seu negócio. É justamente nesse contexto que surge a figura da fusão empresarial. 

A fusão é um assunto relativamente simples na teoria, mas que pode ser extremamente complexo na prática. O nível de complexidade vai depender, basicamente, do perfil das empresas envolvidas no processo, do seu tamanho e da sua área de atuação. 

Neste artigo, vamos apresentar para o leitor um panorama completo sobre o tema, com informações sobre o que é, como funciona o processo de fusão entre empresas, bem como as suas vantagens e desvantagens. Acompanhe e entenda!

O que é a fusão empresarial?

A fusão de empresas é um procedimento que resulta na transformação de duas corporações. Normalmente, é realizado entre duas sociedades, que se juntam e formam uma única organização.

Vamos pensar em um exemplo simples: imagine que uma empresa, a qual denominamos Empresa A, decide se unir ao seu concorrente, ora denominada Empresa B. Elas iniciam um processo de fusão e unem suas estruturas. Ao final do processo, ambas deixam de existir, se transformando na Empresa C. 

Esse exemplo é importante, pois ajuda a entender a diferença entre fusão e aquisição, que são dois conceitos que geram muita confusão entre os empresários.

Em um processo de fusão, como já mencionamos, acontece a união duas empresas que se transformam e dão espaço para o surgimento de uma terceira empresa, uma nova organização. Assim, as duas empresas fundidas deixam de existir, dando espaço para uma nova.

Já nos processos de aquisição, a situação é diferente. Nele, uma empresa adquire outra, sendo que a empresa adquirida é a que deixa de existir. A empresa adquirente continua existindo, sem mudar sua configuração principal.

No meio empresarial, encontramos alguns exemplos importantes de fusão entre empresas. É o caso da fusão entre a Azul e a Trip, a compra da Fox pela Disney e a fusão entre a Heinz e a Kraft. Neste último caso, as empresas juntas se tornaram a quinta maior companhia de alimentos e bebidas do mundo. Na época, estavam avaliadas entre 70 e 100 bilhões de dólares.

Quais são as vantagens e desvantagens da fusão?

Investir em uma fusão pode trazer diversas vantagens para as empresas envolvidas. Entre elas, destacamos a possibilidade de diversificar o mercado, o aumento da abrangência de uma marca, o aumento das receitas, a redução dos custos e a redução de riscos de mercado.

A diversificação de mercado está atrelada ao fato de que o processo de fusão amplia o horizonte para ambos os negócios. Isso cria uma oportunidade para atuar em novas frentes, uma vez que a empresa ganha força, aumentando a sua capacidade produtiva. 

A abrangência da marca, por sua vez, ocorre em razão da união de dois públicos-alvo, o que contribui para um crescimento orgânico e natural na quantidade de consumidores atendidos.

O aumento das receitas e a redução de custos se dão em razão da ampliação e exposição ao mercado, o que gera novas oportunidades de negócio. Além disso, como a fusão demanda uma reestruturação da empresa para que surja um novo negócio, é comum que ocorra uma otimização dos processos, com a eliminação de gargalos e consequente redução de custos.

Considerando que a fusão de empresas representa a união de esforços entre duas corporações, é óbvio que a nova empresa se torna muito mais forte frente ao mercado. Isso se traduz na redução de riscos e na possibilidade de crescimento e desenvolvimento do negócio.

Assim como qualquer mudança, é natural que a fusão também apresente algumas dificuldades, que podem ser vistas como desvantagens. Entre as mais citadas pelos empresários, podemos destacar a dificuldade de unir processos e da transformação da cultura.

As empresas tocam os seus negócios de formas distintas, por isso, ao unir duas corporações, é preciso encontrar um meio de melhorar os resultados. O problema é que, às vezes, os gestores têm dificuldade de encontrar um denominador comum e acreditam que o seu processo pode ser mais eficiente que o processo da outra empresa.

Outra questão que aponta para algumas dificuldades é a transformação na cultura da empresa. Para que uma organização tenha sucesso, é importante que ela tenha valores e uma cultura bem estabelecida. Como cada empresa tem uma visão de mercado e diferentes objetivos, é natural que a cultura também seja diferente.

Durante a fusão, é importante que essas culturas sejam unidas para criar uma nova visão, demandando adaptação de todos os envolvidos.

Quais são as regras e condições para a fusão de empresas?

A fusão entre empresas deve estar baseada na lei de sociedades anônimas (Lei 6.404/76) e demais normas aplicáveis ao processo. Por isso, o primeiro passo é o desenvolvimento de um plano de execução, que inclua a identificação de todos os objetivos, da realidade vivenciada pela empresa e da definição dos prazos e das pessoas envolvidas na fusão.

De acordo com o disposto nos artigos 224 e 225 da referida lei, os elementos essenciais que compõem o procedimento de fusão devem ser levados para a aprovação dos Órgãos da Sociedade.

Entre esses elementos, merece destacar a criação de um Protocolo e Justificação da operação, acompanhado de uma Proposta de Alteração do Capital Social e Consolidação do Contrato ou Estatuto. São eles que vão acompanhar o pedido que será encaminhado para deliberação dos sócios.

Superadas as etapas iniciais, é necessária a aprovação, em todas as empresas envolvidas no processo de fusão, do projeto de estatuto e do plano de distribuição de ações. Além disso, também é preciso eleger os peritos e determinar como será realizada a avaliação do patrimônio das sociedades que serão fundidas.

Posteriormente, é preciso eleger os diretores da nova sociedade, o arquivamento de todos os atos da operação e a extinção das empresas anteriormente existentes. É muito importante que as empresas estejam assessoradas por consultorias especializadas, já que elas podem oferecer todo o suporte técnico e jurídico para a legalidade do processo de fusão.

Como você pode ver, a fusão é uma maneira de unir esforços de duas empresas em busca de melhores resultados em seu mercado de atuação. Com o processo, duas empresas formam uma terceira, que integra os seus processos e o capital humano. Apesar de desafiador, é uma estratégia que pode agregar muitas vantagens para todos os envolvidos.

Você gostou desse artigo sobre fusão empresarial? Saiba que no blog da TBS Consultoria você pode ter acesso a outros conteúdos relevantes sobre negócios e gestão. Assine nossa newsletter e receba nossos conteúdos exclusivos!

Qual sua nota sobre esse conteúdo?

Clique e avalie

Nota: / 5. Avaliações:

Outsorcing ContábilPowered by Rock Convert

Últimos conteúdos.